Canção da Fraternidade I

Informações

Nome do Cântico: Canção da Fraternidade I

Autor(a): Pe. Zé Luís, CSh

Inserido em: 22 de Julho de 2015

Dó           Sol                      Lá-
Hoje é o dia da vitória e da verdade,
Fá                 Dó                        Sol
Da nudez e da encarnação da História.
Dó                       Mi-              Lá-
Vinde todos contemplar e adorar,
Ré-                          Sol                 Dó (Sol)
Pousem armas porque a vida vai mudar.

O Menino que nasceu é Deus connosco.
Povos todos exultai de alegria.
Hoje é o dia de criar um mundo novo,
Onde todos são iguais em harmonia.


Dó                    Mi-                   Lá-
Como borboletas que bebem das flores
Fá           Dó               Sol
Beberão das fontes da paz.
Dó                Mi-                    Lá-
Da Eucaristia e do perdão,
Ré-                    Sol          Dó (Sol)
De todos os cantos da Terra virão.
Todos mão na mão diante do amor,
Chorarão esfomeados de perdão,
Com o coração a rebentar de ternura
Será o grande dia do Senhor.


Como a paz não se constrói sem liberdade,
A verdade não se vive sem amor.
Povos todos agarrai-vos ao que é vida,
Porque o mundo foi tomado p’lo Senhor.

Lá do alto veio a paz e a redenção,
Fez-se homem o Deus vivo e verdadeiro.
Povos todos agarrai-vos ao que é vida,
Porque Deus está a nascer no mundo inteiro

Refrão

Não existe maior prova de amor
que doar vida pela humanidade.
Esta mesma nos ensina a libertar
todo o homem oprimido e sem verdade.

Vim ao mundo p’ra que todos tenham vida,
e esse pão vos alimenta para sempre.
Eu vos mando o vosso mundo transformar
p’ra que todos tenham vida plenamente.

Refrão

Hoje é o dia da vitória e da verdade,
Da nudez e da encarnação da história.
Vinde todos contemplar e adorar,
Pousem armas porque a vida vai mudar.

O Menino que nasceu é Deus connosco. (Jesus que ressuscitou é Deus connosco. )
Povos todos exultai de alegria.
Hoje é o dia de criar um mundo novo,
Onde todos são iguais em harmonia.

Como borboletas que bebem das flores
Beberão das fontes da paz.
Da Eucaristia e do perdão,
De todos os cantos da Terra virão,
Todos mão na mão diante do amor,
Chorarão esfomeados de perdão,
Com o coração a rebentar de ternura
Será o grande dia do Senhor.


Como a paz não se constrói sem liberdade,
A verdade não se vive sem amor.
Povos todos agarrai-vos ao que é vida,
Porque o mundo foi tomado p'lo Senhor.

Lá do alto veio a paz e a redenção,
Fez-se homem o Deus vivo e verdadeiro.
Povos todos agarrai-vos ao que é vida,
Porque Deus está a nascer no mundo inteiro.

Como borboletas que bebem das flores
Beberão das fontes da paz.
Da Eucaristia e do perdão,
De todos os cantos da Terra virão,
Todos mão na mão diante do amor,
Chorarão esfomeados de perdão,
Com o coração a rebentar de ternura
Será o grande dia do Senhor.


Não existe maior prova de amor
que doar vida pela humanidade.
Esta mesma nos ensina a libertar
todo o homem oprimido e sem verdade.

Vim ao mundo p’ra que todos tenham vida,
e esse pão vos alimenta para sempre.
Eu vos mando o vosso mundo transformar
p’ra que todos tenham vida plenamente.

Como borboletas que bebem das flores
Beberão das fontes da paz.
Da Eucaristia e do perdão,
De todos os cantos da Terra virão,
Todos mão na mão diante do amor,
Chorarão esfomeados de perdão,
Com o coração a rebentar de ternura
Será o grande dia do Senhor.

2 pessoas gostam deste cântico.