Deixa-me ver-Te

Informações

Nome do Cântico: Deixa-me ver-Te

Autor(a): Vigararia: Alcobaça - Nazaré / Paróquia: Alfeizerão

História: Música concorrente ao XX Festival Diocesano da Canção Cristã (Lisboa - 2015)

Inserido em: 30 de Agosto de 2017

Quero ser tinta nas Tuas mãos

E pintar o mundo como Tu quiseres.

Sim

Quero ser barro para me moldares,

                                                Mim           Lá9

Como moldasTe Maria entre as mulheres.


Quero ser criança, para ser pequeno,

Para no Teu colo poder morar.

Quero ser da terra, mas não terreno

Quero ser santo, mas vivo a duvidar.



Eu respiro-Te ó meu Deus

                                   Sim

E vivo na Tua imensidão

                                                                Fá#m

Com tudo o que me dás me abraças,

                 Mim     Lá9   Ré

Em tudo pões Tua mão.

O Teu amor é tão grande

                                               Sim

E eu quero viver nesse amor,

                                         Fá#m

Dá-me a pureza no olhar

                   Mim       Lá9             Ré

Deixa-me ver-Te meu Senhor.


Como o rio anseia até chegar ao mar,

Assim eu anseio para em Ti viver

E nenhum pecado nos vai separar,

Nem mesmo a morte nos pode vencer.


Porque só Tu moves montanhas

Se eu Te deixar em mim trabalhar.

Porque só Tu enches de alegria o meu peito

Mesmo que eu erre e volte a errar.


Eu respiro-Te ó meu Deus

                                   Sim

E vivo na Tua imensidão

                                                                Fá#m

Com tudo o que me dás me abraças,

                 Mim Lá9 Ré

Em tudo pões Tua mão.

O Teu amor é tão grande

                                               Sim

E eu quero viver nesse amor,

                                         Fá#m

Dá-me a pureza no olhar

                   Mim Lá9 Ré

Deixa-me ver-Te meu Senhor.


Perdoa a minha fraqueza e as minhas faltas

Mim

E os dias em que não consigo amar.

Fá#m

Que eu Te sinta no sabor do vento,

Lá9

Que para o céu nunca deixe de olhar.

Refrão

Quero ser tinta nas Tuas mãos

E pintar o mundo como Tu quiseres.

Quero ser barro para me moldares,

Como moldaste Maria entre as mulheres.


Quero ser criança, para ser pequeno,

Para no Teu colo poder morar.

Quero ser da terra, mas não terreno

Quero ser santo, mas vivo a duvidar.


Eu respiro-Te ó meu Deus 

E vivo na Tua imensidão

Com tudo o que me dás me abraças,

Em tudo pões Tua mão.


O Teu amor é tão grande

E eu quero viver nesse amor,

Dá-me a pureza no olhar

Deixa-me ver-Te meu Senhor.


Como o rio anseia até chegar ao mar,

Assim eu anseio para em Ti viver

E nenhum pecado nos vai separar,

Nem mesmo a morte nos pode vencer.


Porque só Tu moves montanhas

Se eu Te deixar em mim trabalhar.

Porque só Tu enches de alegria o meu peito

Mesmo que eu erre e volte a errar.


Eu respiro-Te ó meu Deus

E vivo na Tua imensidão

Com tudo o que me dás me abraças,

Em tudo pões Tua mão.


O Teu amor é tão grande

E eu quero viver nesse amor,

Dá-me a pureza no olhar

Deixa-me ver-Te meu Senhor.


Perdoa a minha fraqueza e as minhas faltas 

E os dias em que não consigo amar.

Que eu Te sinta no sabor do vento,

Que para o céu nunca deixe de olhar.


Eu respiro-Te ó meu Deus 

E vivo na Tua imensidão

Com tudo o que me dás me abraças,

Em tudo pões Tua mão.


O Teu amor é tão grande

E eu quero viver nesse amor,

Dá-me a pureza no olhar

Deixa-me ver-Te meu Senhor.


Ainda ninguém gosta deste cântico.