Do Espírito

Informações

Nome do Cântico: Do Espírito

Autor(a): Desconhecido

Inserido em: 30 de Julho de 2015

Lá                                      Si-
O Teu sopro achou-me dormindo
Mi                 Lá
na minha jangada,

Pois vieste como terna brisa
Mi               Lá
pela madrugada.

Acordei e embalei-me no
Fá#-           Si-               Mi
vento em que não me prendias.

E sorrindo entreguei-te a
Ré             Mi                  Lá (Lá7)
vontade de todos os dias.

De repente a jangada cresceu
e tornou-se cidade,
Já pequena demais para
acolher a gente que a invade.
Nas mãos dadas sentimos
Teu fogo abrasar corações.
Tua palavra é esperança que em nós
se transforma em canções.


Ré         Mi                          Lá          Fá#-
Tu me embalas quando me persegues
Ré                              Mi                   Lá (Lá7)
E me impeles mesmo enquanto me recebes.
Ré        Mi                          Lá        Fá#-
Tu me abalas no que me concedes
Ré                  Mi                      Lá (Mi7)
E me guias para onde me precedes.


Já não posso tranquilo dormir
nem parar um momento,
No caminho impossível demais,
se vai contra o Teu vento.
No Teu mar aprendi que ser
rico é dar o que sou,
Pois recebo o que dou,
se me entrego no que em mim ficou.

O Teu sopro achou-me dormindo na minha jangada,
Pois vieste como terna brisa pela madrugada.
Acordei e embalei-me no vento em que não me prendias.
E sorrindo entreguei-te a vontade de todos os dias.

De repente a jangada cresceu e tornou-se cidade,
Já pequena demais para acolher a gente que a invade.
Nas mãos dadas sentimos Teu fogo abrasar corações.
Tua palavra é esperança que em nós se transforma em canções.

Tu me embalas quando me persegues
E me impeles mesmo enquanto me recebes.
Tu me abalas no que me concedes
E me guias para onde me precedes.


Já não posso tranquilo dormir nem parar um momento,
No caminho impossível demais, se vai contra o Teu vento.
No Teu mar aprendi que ser rico é dar o que sou,
Pois recebo o que dou, se me entrego no que em mim ficou.

Tu me embalas quando me persegues
E me impeles mesmo enquanto me recebes.
Tu me abalas no que me concedes
E me guias para onde me precedes.

1 pessoa gosta deste cântico.